Entrar

CICLOTIMIA: DO DIAGNÓSTICO AO TRATAMENTO

KELEN CANCELLIER CECHINEL-RECCO

RITELE HERNANDEZ DA SILVA

epub-BR-PROPSIQ-C10V3_Artigo4

Introdução

A ciclotimia, ou o transtorno ciclotímico, não é um transtorno psiquiátrico novo ou recém-reconhecido, mas claramente tem sido negligenciada pelos clínicos e pela ciência nas últimas décadas.

A ciclotimia é um transtorno psiquiátrico caracterizado por uma apresentação crônica de sintomas depressivos e hipomaníacos leves, que não são capazes de atender aos critérios diagnósticos para um episódio depressivo ou hipomaníaco completo.

Nos últimos anos, a ciclotimia tem sido “vítima” de uma falta de uniformidade sobre a sua origem e sua descrição, tendo sido conceitualizada desde um subtipo do transtorno bipolar (TB), ou um tipo de temperamento afetivo, ou até mesmo um estilo de personalidade.

O transtorno ciclotímico, normalmente, tem início insidioso e curso persistente, e estima-se que há um importante risco de um indivíduo com esse transtorno vir a desenvolver posteriormente TB tipo I ou tipo II.

O quadro clínico, o diagnóstico e o tratamento do transtorno ciclotímico têm suas peculiaridades e serão discutidos neste capítulo.

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • identificar e conceituar o transtorno ciclotímico;
  • reconhecer as características diagnósticas do transtorno ciclotímico;
  • fornecer as principais orientações quanto ao tratamento farmacológico do transtorno ciclotímico;
  • manejar o tratamento farmacológico do transtorno ciclotímico.

Esquema conceitual

Cadastre-se para ler o artigo completo
Já tem uma conta? Faça login