Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

OSTEOPATIA EM NEONATOLOGIA

Juliana Nasu Tomiyama

epub-BR-PROFISIO-PED-C13V1_Artigo2

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • entender a osteopatia e sua história na fisioterapia brasileira;
  • compreender os princípios de tratamento da osteopatia e suas principais indicações para recém-nascidos (RNs);
  • reconhecer as atuais evidências científicas relacionadas ao tratamento osteopático em RNs;
  • identificar a importância da aplicação da osteopatia no contexto hospitalar, nos parâmetros fisiológicos, na plagiocefalia, na ventilação não invasiva, na alimentação/amamentação e no tempo de internação relacionados à neonatologia.

Esquema conceitual

Introdução

A osteopatia focada em RNs já é muito popular em vários países da Europa, onde as famílias têm a preocupação de levar seus bebês ao osteopata para avaliação logo nos primeiros dias de vida. Naquele continente, a osteopatia vem ganhando muito espaço em nível hospitalar, mais precisamente nas unidades de terapia intensiva neonatais (UTINs).

No Brasil, a prática tem se popularizado, e profissionais de várias áreas reconhecem seus benefícios e buscam fisioterapeutas osteopatas capacitados para trabalhar em conjunto. A osteopatia oferece benefícios significativos para o bem-estar e o desenvolvimento dos RNs, melhorando sua qualidade de vida.