Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

Alterações do arco plantar transverso e fascite plantar: como intervir?

Fernando Eduardo Zikan

Renan Ferreira da Silva

Rafael Ramalho dos Santos Pugliesi Portella

epub-PROFISIO-TRAU-C7V1_Artigo3

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

  • revisar a evidência científica atual sobre arco plantar e fascite plantar;
  • analisar a importância da avaliação do arco plantar transverso nas disfunções de tornozelo e pé;
  • identificar a correlação entre modificação de arco plantar (plano ou cavo) e incidência de fascite plantar;
  • descrever os elementos diagnósticos para estabelecer a correlação entre modificação de arco plantar (plano ou cavo) e incidência de fascite plantar;
  • formular programa fisioterapêutico adequado para disfunções de tornozelo e pé.

Esquema conceitual

Introdução

A formação do apoio plantar é uma variável importante no crescimento e desenvolvimento de todo indivíduo. As aquisições motoras que propiciam bom desenvolvimento estão relacionadas às estruturas ósseas, mas, principalmente, aos componentes de tecido mole, que têm funções de estabilização de posicionamentos osteoarticulares e de ativação contrátil na manutenção estática do arco plantar transverso.

Este capítulo tem por objetivo estabelecer referenciais teóricos para a compreensão da formação e avaliação do arco plantar e estabelecer relação com as alterações desse com a fascite plantar, situação clínica bastante presente na clínica fisioterapêutica e que ainda desperta muita discussão sobre melhores abordagens e acompanhamento.

Esta leitura pretende facilitar a compreensão para uma abordagem fisioterapêutica precisa, compreendendo os fatores sintomáticos da fascite plantar, estabelecendo correlações entre ela e a formação do arco plantar e a resultante pisada na estática e durante a marcha.