Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

ALTERAÇÕES FISIOLÓGICAS E BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO FÍSICO

Josivan Gomes de Lima

Lucas Nóbrega de Lima

epub-BR-PROENDOCRINO-C13V2_Artigo

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

  • explicar a fisiologia metabólica do exercício;
  • identificar os tipos de exercício físico e as respectivas alterações provocadas no organismo;
  • apresentar o poder terapêutico do exercício físico e os possíveis cenários de utilização terapêutica.

Esquema conceitual

Introdução

A realização de exercício físico como forma de tratamento e como alternativa quase que obrigatória para uma vida saudável e sem complicações surgiu há muito tempo. Sua prática assume várias funções importantes na sociedade atual, como profissão, recreação e entretenimento (em casos de competições esportivas) até como tratamento de saúde física e mental da população geral. As atividades físicas, porém, nem sempre foram vistas dessa forma.

A relação da atividade física com a saúde do indivíduo ainda vem sendo estudada e explorada para conhecer cada vez melhor os benefícios que o exercício pode trazer. Além disso, à medida que o tempo passa, novas maneiras de se exercitar (tempo, intensidade etc.) são descobertas e promovem alterações diferentes no organismo de quem pratica exercícios físicos. Sua melhor compreensão pode ser útil para alcançar o bem-estar e uma melhoria do quadro clínico e laboratorial de pacientes e da população em geral.

A aptidão cardiorrespiratória, ou seja, o condicionamento físico de uma pessoa, tem grande influência no risco de morte. Alguns estudos têm mostrado que o risco atribuível ao baixo condicionamento físico é maior que o risco de alguns fatores tradicionais, como obesidade, tabagismo e hipercolesterolemia.1

Especificamente, quando se utiliza ou se indica a realização de exercícios para pacientes com o intuito de melhora metabólica, tem-se um grande potencial de benefícios para a saúde. O exercício regular pode reduzir riscos de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2 (DM2) e de hipertensão arterial; além disso, reduz mortalidade e risco de recorrência de alguns tipos de câncer, como o de mama e o de intestino.

Entretanto, apesar dos benefícios comprovados e do custo-benefício satisfatório, começar a fazer atividade física regular exige mudança de hábitos e, como consequência, a adesão a um programa de exercícios é baixa. Mesmo assim, se deve prescrever e estimular sempre os pacientes e a população para que adotem esse hábito saudável com grande potencial de benefícios.

Assine agora para ter acesso a todo o conteúdo do PROENDOCRINO