Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

EXERCÍCIO AERÓBIO PARA ADULTOS E IDOSOS COM DISFUNÇÕES NEUROLÓGICAS: ATUALIZAÇÕES PARA AVALIAÇÃO E PRESCRIÇÃO DO TREINAMENTO

Larissa Tavares Aguiar

Christina Danielli Coelho de Morais Faria

epub-PROFISIO-NEU-C11V2_Artigo1

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • definir exercício aeróbio e aptidão aeróbia;
  • caracterizar o exercício aeróbio sob a perspectiva histórica da fisioterapia neurofuncional;
  • descrever a aptidão aeróbia em indivíduos com disfunções neurológicas;
  • elencar as evidências científicas mais atuais sobre os efeitos do exercício aeróbio para indivíduos com disfunções neurológicas;
  • listar as opções e a forma de realizar a avaliação prévia para a prescrição do exercício aeróbio para indivíduos com disfunções neurológicas;
  • explicar a avaliação e a prescrição de exercício aeróbio para indivíduos com disfunções neurológicas;
  • apontar a percepção de fisioterapeutas sobre o exercício aeróbio;
  • analisar as preferências dos pacientes com disfunções neurológicas quanto ao exercício aeróbio.

Esquema conceitual

Introdução

O exercício aeróbio se refere a qualquer atividade física realizada de forma estruturada e planejada que envolva a ativação repetitiva de grandes grupos musculares, de maneira rítmica e por período prolongado, com o objetivo de melhorar ou manter a aptidão aeróbia.1–4 Resultados de diferentes estudos mostram que o exercício aeróbio é eficaz para aumentar a aptidão aeróbia3 e melhorar outros desfechos, como a capacidade de caminhada e a qualidade de vida.3,5 A redução da aptidão aeróbia é uma deficiência comumente observada em indivíduos com disfunções neurológicas.1

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou recentemente uma diretriz com recomendações sobre a atividade física para grupos específicos, incluindo pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e incapacidades,6 que abarca boa parte dos indivíduos com disfunções neurológicas. Essa diretriz recomenda fortemente que adultos com doenças crônicas façam exercícios aeróbios. Ademais, diversas diretrizes clínicas atuais recomendam que o exercício aeróbio faça parte do programa de reabilitação de indivíduos após acidente vascular cerebral (AVC).1,7,8

Para implementar o exercício aeróbio como parte do tratamento de indivíduos com disfunções neurológicas, é importante que o fisioterapeuta saiba analisar e interpretar os resultados obtidos na avaliação, além de prescrever adequadamente o exercício aeróbio para esse grupo. Isso inclui a monitoração do treinamento e a reavaliação para acompanhamento da evolução.

Nos últimos anos, houve importante avanço na produção de conhecimento com aplicação clínica direta para avaliação e prescrição do exercício aeróbio para indivíduos com disfunções neurológicas. Neste capítulo, serão apresentados conhecimentos atuais, baseados nos resultados de pesquisas de boa qualidade e com aplicação clínica direta, para realizar corretamente a avaliação e prescrição de exercício aeróbio para essa população.