Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

OS IMPACTOS DA MASTECTOMIA NA VIDA DA MULHER COM CÂNCER DE MAMA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

Diego Augusto Lopes Oliveira

Sabryna Kelly Bezerra da Silva Araujo

Vinicius Gabriel Costa França

Iago Vieira Gomes

Vânia Pinheiro Ramos

epub-BR-PROENF-APS-C12V3_Artigo

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • destacar o cuidado de enfermagem, no contexto da Atenção Primária à Saúde (APS), como elemento fundamental na manutenção do bem-estar da mulher no pré e pós-mastectomia;
  • explicar a ação do enfermeiro na APS no cuidar da mulher com câncer de mama;
  • elencar os impactos ocasionados à mulher na experiência cirúrgica da mastectomia;
  • resumir as intervenções de enfermagem para cuidado à mulher mastectomizada na APS;
  • listar os impactos da mastectomia na vida da mulher com câncer de mama e as implicações e as responsabilidades do cuidado implementado pelo profissional de enfermagem.

Esquema conceitual

Introdução

O câncer de mama é uma das neoplasias mais comuns em mulheres em todo o mundo.1 São registrados, mundialmente, indicadores de morbimortalidade crescentes relacionados ao desenvolvimento dessa neoplasia. Dois dos fatores mais recorrentes para as crescentes taxas são a implementação de políticas de rastreamento e diagnóstico precoce, que se unem aos fatores de risco e colaboram para o cenário na atualidade.2

A problemática do rastreio e o diagnóstico expõem a mulher à situação de vulnerabilidade no seguimento da linha de cuidado para a referida doença e na tomada de decisão clínica para o tratamento.2 As opções de tratamento são diversas e estão disponíveis no âmbito da saúde pública e suplementar, entre as quais a mais comum — relacionada à característica geral dos tumores mamários — é a mastectomia.3

A mastectomia é um procedimento cirúrgico destinado à retirada das células malignas por meio da remoção da mama. A implementação da intervenção é benéfica no contexto do tratamento do câncer de mama, porém culmina em alterações importantes na qualidade de vida da mulher, causando alterações físicas, psicológicas, sexuais, na imagem corporal, nas relações sociais, na expressão da feminilidade e, ainda, na amamentação.4

O cuidado aplicado à mulher na experiência cirúrgica da mastectomia deve ser integral e perpassar o processo de hospitalização. As ações desenvolvidas de forma integral permitem que os impactos relacionados ao procedimento sejam minimizados e controlados, de forma a promover qualidade de vida e recuperação positiva. Nesse processo, a atenção primária e as ações dos profissionais da saúde — em especial os de enfermagem — têm grande valia no suporte à mulher e a sua família para manutenção de seu bem-estar.