Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

USO DE ULTRASSONOGRAFIA CRANIANA COM DOPPLER EM NEONATOLOGIA

Paulo Roberto Margotto

Marta David Rocha de Moura

epub-BR-PRORN-C21V2_Artigo3

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

  • identificar as principais indicações da ultrassonografia craniana com Doppler (USD-c);
  • compreender os achados mais relevantes na USD-c, especialmente no contexto de lesões isquêmicas e hemorrágicas em recém-nascidos pré-termo (RNPTs), bem como na encefalopatia hipóxico-isquêmica (EHI) e nas infecções;
  • dialogar com os pais, fornecendo explicações embasadas sobre as perspectivas futuras e a importância da intervenção precoce.

Esquema conceitual

Introdução

A USD-c é um procedimento médico não invasivo usado para examinar o cérebro do recém-nascido (RN) usando ondas sonoras de alta frequência. Também conhecida como ecografia cerebral, esse exame complementar permite visualizar estruturas e tecidos dentro do cérebro, como os ventrículos, os hemisférios cerebrais, o cerebelo e o tronco cerebral.

Durante o exame de ecografia cerebral, um transdutor de ultrassonografia é colocado sobre o couro cabeludo do paciente e emite ondas sonoras de alta frequência. Essas ondas sonoras penetram nos tecidos cranianos e retornam ao transdutor, criando imagens do cérebro em tempo real.

Sua aplicabilidade na neonatologia é ampla, podendo ser usada para avaliar o desenvolvimento cerebral, identificar anormalidades estruturais, verificar o fluxo sanguíneo cerebral (FSC) e auxiliar no diagnóstico de condições como hemorragias intracranianas, hidrocefalia, malformações congênitas, lesões traumáticas e tumores cerebrais.