Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

HEMORRAGIAS DECORRENTES DE TERAPÊUTICAS ENDOSCÓPICAS NA ENDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA

Miguel Koury Filho

epub-BR-PROENDOGASTRO-C1V2_Artigo2

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • validar a necessidade do manejo de anticoagulantes e antiagregantes plaquetários antes da realização da terapêutica endoscópica;
  • reconhecer a necessidade de preparo do paciente para a realização da terapêutica endoscópica;
  • estar ciente dos riscos de hemorragia após a realização de endoscopia digestiva terapêutica;
  • distinguir e tratar as complicações hemorrágicas das diferentes terapêuticas endoscópicas.

Esquema conceitual

Introdução

A endoscopia digestiva alta é um dos procedimentos mais realizados para o diagnóstico e o tratamento de lesões no trato gastrintestinal alto. Devido à complexidade dos pacientes e ao avanço dos procedimentos endoscópicos terapêuticos, torna-se necessário avaliar seus riscos e potenciais eventos adversos, tais como o sangramento relacionado aos procedimentos.

O sangramento prontamente evidenciado durante a endoscopia deve ser contido com as técnicas habituais de hemostasia, seja por métodos térmicos, seja por meios injetáveis e/ou mecânicos. Por outro lado, sangramentos tardios e/ou não identificados no momento do exame podem ter consequências letais e, portanto, requerem maior atenção. É fundamental minimizar os danos ao paciente pela antecipação de medidas preventivas.

O conhecimento do histórico do paciente, de detalhes do procedimento a ser realizado, dos riscos inerentes desse procedimento e dos métodos de resolução das complicações diferencia o médico endoscopista e protege o paciente de potenciais riscos à saúde.