Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

ORGANIZAÇÃO E GERENCIAMENTO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE E DE ENFERMAGEM

Karelline Izaltemberg Vasconcelos Rosenstock

epub-BR-PROENF-GES-C13V1_Artigo3

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

 

  • definir organização, os tipos e a estrutura organizacional dos serviços de saúde e de enfermagem;
  • descrever as principais ferramentas para a gestão e a organização de serviços de saúde e de enfermagem;
  • reconhecer os aspectos gerenciais da prática da enfermagem no desenvolvimento organizacional e de recursos humanos.

    Esquema conceitual

Introdução

Uma estrutura organizacional descreve como uma instituição ou um serviço é organizado em termos de hierarquia, autoridade, departamentos, funções e cargos. Com base nessa estrutura, pode ser criado um organograma visual do trabalho que dará um resultado mais satisfatório.

Nesse contexto, a estrutura organizacional dos serviços de enfermagem é de grande importância, pois permite que os profissionais dessa equipe e dos demais serviços compreendam os papéis e as responsabilidades de cada membro e contribuam para a qualidade e a visibilidade da assistência da equipe de enfermagem.

Desse modo, é essencial investir em como a instituição de saúde oferece seus serviços, uma vez que os produtos que representam a dinâmica desses serviços de saúde, obtidos como um todo, estão baseados em um sistema de valores culturais, educacionais e sociais da organização de saúde e concretizados nos princípios que compõem sua missão.1

Nessa perspectiva, o enfermeiro ocupa um espaço de destaque no diálogo dinâmico e criativo entre usuários internos e externos por meio do contato constante com esses atores sociais. Os produtos dos serviços de assistência representam o espírito empreendedor das equipes que apoiam a criação e/ou manutenção de prestação de cuidados excepcionais, produtividade e saúde para a sociedade em geral.1

O gerenciamento de enfermagem é um processo complexo, pois envolve coordenação da equipe de enfermagem, administração e outras atividades gerenciais e assistenciais de enfermagem. Sabe-se que os serviços de enfermagem têm características próprias que os distinguem de outros serviços na área da saúde e requerem pensamento e tratamento diferenciados.2 Entre essas características estão:2

 

  • a finalidade da enfermagem em cuidar de pacientes nas dimensões biopsicossociais em todos os níveis de atenção;
  • o trabalho do enfermeiro em serviços de saúde 24 horas por dia, nos sete dias da semana;
  • a variedade de ocupações na área de enfermagem, incluindo auxiliares de enfermagem, técnicos de enfermagem e enfermeiras registradas, em que cada nível de funcionamento possui competências específicas previstas na lei do exercício profissional, todas as quais devendo ser coerentes com a visão de qualidade da enfermagem.

Torna-se, assim, imperativo o uso de ferramentas e estratégias que visem otimizar e certificar esse processo. Os serviços de atendimento com foco na qualidade estão sempre em contato direto com seus clientes, buscando conhecê-los, entendê-los, defini-los e avaliá-los.

Os enfermeiros são líderes nos cuidados prestados aos pacientes, sendo essa a principal fonte de contato constante com eles. Isso significa que os enfermeiros devem orientá-los quanto às normas e aos direitos e fornecer informações completas, precisas e verdadeiras sobre os procedimentos a serem realizados pelos profissionais de saúde e enfermeiros integrantes da equipe.

A enfermagem, como elemento integrante do sistema de saúde, está comprometida com a prática e a implementação do controle de qualidade na gestão de enfermagem, pois há uma compreensão crescente de que os padrões de excelência em enfermagem só podem ser alcançados por meio da busca da qualidade. Nesse contexto, incentiva-se que a prestação de serviços sujeitos à verificação de qualidade utilize as ferramentas de qualidade, entendidas como meios para manter e melhorar os resultados dos processos de uma organização.3

Ferramentas de gestão, como programas e alternativas de treinamento, tornam-se métodos que visam atender a tais necessidades e às expectativas organizacionais. Ferramentas como o ciclo PDCA (plan: planejar, do: executar, check: avaliar, act: atuar), o fluxograma, a folha de verificação e os protocolos operacionais padrão (POPs) são populares na literatura de saúde, e o conhecimento de suas funções e características pode ajudar os administradores a atuarem em ambientes de cuidados. Além disso, os programas de qualidade e de educação permanente são alternativas amplamente utilizadas pelos profissionais de saúde para qualificar e capacitar os atores envolvidos na dinâmica dos serviços de saúde.

Este capítulo tem como escopo definir conceitos relacionados à estrutura organizacional do serviço de enfermagem e suas atribuições, além de identificar as ferramentas para a gestão e a organização dos serviços de saúde com foco no desenvolvimento organizacional.