Entrar

SEXUALIDADE DOS ADOLESCENTES: CONTRIBUIÇÕES DA TERAPIA COGNITIVA SEXUAL

ALINE SARDINHA

epub-PROCOGNITIVA-C8V1_Artigo4

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

  • conceitualizar os aspectos do desenvolvimento psicossexual que ocorrem na adolescência;
  • reconhecer a adolescência como um período crítico para o desenvolvimento da sexualidade;
  • identificar os principais aspectos da sexualidade que devem ser objeto de atenção na adolescência;
  • relacionar o desenvolvimento das crenças e dos repertórios sexuais na adolescência com as queixas sexuais na vida adulta;
  • discutir os desafios de trabalhar com a sexualidade dos adolescentes nos diversos contextos em que o psicólogo se insere.

Esquema conceitual

Introdução

A adolescência é a fase da vida que se estende entre a infância e a idade adulta, e sua definição se altera de acordo com as representações sociais de cada contexto. É uma etapa que engloba principalmente elementos de crescimento biológico e grandes transições de papéis sociais. Assim, trata-se de um período do desenvolvimento humano marcado por intensas mudanças físicas e psicológicas relacionadas ao surgimento e ao refinamento de capacidades cognitivas, socioafetivas e comportamentais primordiais à vida adulta.1

É na adolescência que os relacionamentos afetivos e sexuais aparecem com intensidade. Essa fase pode ser considerada um período sensível para o desenvolvimento da sexualidade.2 Nesse sentido, este capítulo traz uma perspectiva da sexualidade dos adolescentes baseada nas teorias e técnicas da terapia cognitiva sexual (TCS), buscando compreender que aspectos precisam ser alvo de atenção — e, potencialmente, intervenção terapêutica — nessa fase da vida.

A TCS é uma abordagem que integra as principais teorias e técnicas já validadas das terapias cognitivas, comportamentais e contextuais (terapias cognitivo-comportamentais [TCCs]), traçando um paralelo entre o que já é conhecido e comprovadamente eficaz e as mais recentes evidências da literatura no campo da sexualidade.3

A proposta da TCS é a de levar para a prática clínica todo o entendimento do funcionamento sexual, de como os processos cognitivos e emocionais influenciam a experiência sexual e podem vulnerabilizar as pessoas ao desenvolvimento de disfunções. Para isso, utiliza como base toda a expertise inerente às TCCs.

Grande parte dos psicólogos não tem as habilidades clínicas necessárias e nem se sente confortável ao lidar com a sexualidade das pessoas. Essa dificuldade se ancora na ausência quase completa de treinamento sobre o tema na formação em psicologia.4 Nesse sentido, o presente capítulo visa chamar a atenção do leitor para a importância de desenvolver um olhar mais aprofundado sobre o desenvolvimento da sexualidade nos adolescentes, assim como trazer ferramentas sobre o assunto que possam auxiliar sua abordagem no cotidiano.

Cadastre-se para ler o artigo completo
Já tem uma conta? Faça login