Entrar

Esse conteúdo é exclusivo para assinantes do programa.

PUBERDADE ATRASADA NO MENINO: DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL COM HIPOGONADISMO

Leandra Steinmetz

Puberdade atrasada no menino - Secad

Objetivos

Ao final da leitura deste capítulo, o leitor será capaz de

  • realizar o diagnóstico de puberdade atrasada;
  • descrever a etiologia da puberdade atrasada;
  • proceder à avaliação clínica e ao exame físico do paciente;
  • solicitar os exames laboratoriais e de imagem pertinentes;
  • indicar e realizar o seguimento da reposição hormonal de acordo com a situação.

Esquema conceitual

Introdução

A puberdade é o processo pelo qual as crianças desenvolvem as características sexuais secundárias e a capacidade reprodutiva. O momento da puberdade é determinado pela adequação nutricional, saúde geral e exercícios, sendo modulada por herdabilidade familiar ou genética, com mudanças seculares.1,2

O eixo hipotalâmico-hipofisário-gonadal (eixo HHG) está ativo no lactente e depois se torna quiescente até que uma sinalização neuronal complexa, via kisspeptina, inicia uma cascata de secreção hipofisária do hormônio folículo estimulante (em inglês, follicle-stimulating hormone [FSH]) e do hormônio luteinizante (em inglês, luteinizing hormone [LH]), a fim de estimular a produção de testosterona, o que resulta no desenvolvimento sexual secundário e no acúmulo de massa óssea.1–3

A puberdade atrasada consiste na ausência de sinais de maturação sexual em idade superior a 2–2,5 desvios-padrão acima da idade média para o início da puberdade em uma determinada população.1,3,4 Na prática clínica, isso corresponde a um volume testicular menor que 4 mL em meninos com mais de 14 anos de idade.

Além da idade de início da puberdade, deve-se considerar o ritmo de progressão dos caracteres sexuais secundários. O desenvolvimento puberal normal acontece progressivamente em um período de 3,2 ±1,8 anos no sexo masculino, até que se atinja o volume testicular adulto, de 20 a 25 mL. Portanto, qualquer interrupção nesse processo contínuo pode ser patológica.4–6

O atraso puberal pode afetar o bem-estar psicossocial dos pacientes, de suas famílias e a relação do adolescente com seus pares, levando ao isolamento social. Também pode afetar a altura final e o ganho de massa óssea do paciente.1,5,6

É importante que o médico esteja atento aos sinais de atraso puberal, para que isso não impacte psicologicamente o paciente. O diagnóstico diferencial entre atraso constitucional do crescimento e puberdade e situações de hipogonadismo é importante e desafiador.

Assine agora para ter acesso a todo o conteúdo do PROENDOCRINO